O Resgate de animais errantes à luz da Bioética e do artigo 17 da Declaração Universal Sobre Bioética e Direitos Humanos

Autores/as

  • Janderson Hiago dos Santos Guimarães Rodrigues Universidade de Brasília, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.18270/bp.v1i2.3906

Palabras clave:

animais abandonados, vias públicas, bioética, resgate de animais, Declaração Universal Sobre Bioética e Direitos Humanos

Resumen

Propósito/Contexto:  O resgate de animais errantes ​em vias públicas se configura tema importante como problema de saúde pública e da Bioética. Este artigo buscou fazer uma reflexão teórica ​conceitual sobre questões bioéticas​ que ​​influenciam a ação humana em relação ao cuidado e a vida e o bem estar dos animais errantes, apoiada nos preceitos do artigo 17​,​ da Declaração Universal sobre Bioética e Direitos Humanos​.

Metodologia/Enfoque: ​ Trata-se de uma análise qualitativa, a partir de levantamento bibliográfico e documental sobre questões bioéticas, jurídicas, sociais e de saúde sobre os avanços conceituais, normativos e éticos acerca da inter-relação homem e o cuidado dos animais errantes.

Resultados/ Hallazgos: ​ os resultados apontam para ​​avanços conceituais e normativos ​na ​defesa de uma inter-relação entre seres humanos e demais animais, de maneira que convivam e sobrevivam a favor do meio ambiente, da biodiversidade e da biosfera​. Todavia, persistem problemas éticos no contexto social, político e de saúde.

Discusión/Conclusiones/Contribuciones:  ​O regaste d​e  animais abandonados em vias públicas​ demanda por mais estudos científicos para identificar estratégias para a melhoria do envolvimento e engajamento social, moral e político dos agentes sociais e das políticas públicas, com vistas ao fortalecimento dos preceitos bioéticos  do bem estar desses animais.

Citas

Dzieciol ME. Bosa CR. O programa de animais de Curitiba e sua aplicação no acantonamento ecológico. REMOA 2011; 4(4): 877-86. https://doi.org/10.5902/223613083640

Régis AHP. Fundamento(s) para um status jurídico (sui generis) para os animais não humanos (tese). Brasília: Universidade de Brasília, 2017.

Morin E. Para sair do século XX. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; 1986

Machado, ILO. Garrafa, V. Proteção ao meio ambiente e às gerações futuras: desdobramentos e reflexões bioéticas. (2020). Saúde e debate, 44. (124), pp. 263-274. https://doi.org/10.1590/0103-1104202012419

Amaral, JB. Trevisan, G. Tremori, Guerra, ST. Fundamentos e aplicações da medicina veterinária forense no bem-estar de bovinos leiteiros: revisão. (2017). Pubvet, 12, (2), pp. 1-13. https://doi.org/10.22256/pubvet.v12n2a37.1-13

Publicado

2022-02-12

Cómo citar

Rodrigues, J. H. dos . S. G. . (2022). O Resgate de animais errantes à luz da Bioética e do artigo 17 da Declaração Universal Sobre Bioética e Direitos Humanos. Bios Papers, 1(2). https://doi.org/10.18270/bp.v1i2.3906