O reset humanitário e o novo tratado internacional da solidariedade global: um caminho para a resiliência global

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.18270/bp.v1i2.3969

Palabras clave:

solidariedade global, reset humanitário, pandemias, resiliência global

Resumen

Objetivo/Contexto. O artigo discute a proposta do Novo Tratado da Solidariedade Global para o Enfrentamento de Pandemias, como paradigma para o reset humanitário, como um caminho para a resiliência global da humanidade.

Metodologia/ Abordagem. Com a utilização do método dedutivo, com a técnica de documentação indireta, através da análise da doutrina e dos documentos internacionais, o artigo abordará a necessidade de se revisitar a teoria do antropoceno, considerando-se o homem em sua relação harmônica com a natureza, bem como o redesenho das fronteiras entre a humanidade e o vírus, para a conformação de uma nova comunidade internacional, em solidariedade global.

Resultados/Descobertas. O artigo refletirá sobre a contribuição do Tratado Internacional para Futuras Pandemias na sociedade pós-pandêmica resiliente e concatenada com o princípio da solidariedade global, para a realização do reset humanitário.

Discussão/Conclusões/Contribuições. O trabalho analisará os contornos da comunidade internacional pós-pandêmica, consequência do antropocentrismo e adentrará no âmbito do ecocentrismo, propondo uma comunidade resiliente, no contexto do princípio da cooperação internacional, tomando-se como parâmetro o great reset, com a finalidade de adaptar referida ideia para o reset humanitário, necessário para a convivência da humanidade em solidariedade, no ambiente pós-pandêmico.

Citas

Bauman, Zygmunt. 2017. Estranhos à nossa porta. Rio de Janeiro: Zahar.

Bauman, Zygmunt. 2005. Vidas desperdiçadas. Rio de Janeiro: Zahar.

Beck, Ulrich. 2009. “Critical theory of world risk society: a cosmopolitan vision.” Constellations 16, no. 01: 3-22. https://doi.org/10.1111/j.1467-8675.2009.00534.x

Brostom, Nick. 2005. “A history of transhumanist thought.” Journal of Evolution and Technology 14, 1: 1-25. https://www.nickbostrom.com/papers/history.pdf

Castells, Manuel. 2020. Castells: A hora do Grande Reset. https://outraspalavras.net/pos-capitalismo/castells-a-hora-do-grande-reset/

Chomski, Noam. s. f. Entrevista para o Núcleo de Bioética e Ética Aplicada da UFRJ. http://nubea.ufrj.br/index.php/boteko/textos/chomsky-a-escassez-de-respiradores-expoe-a-crueldade-do-capitalismo-neoliberal

Delanty, Gerard. 2018. “Os desafios da globalização e a imaginação cosmopolita: as implicações do Antropoceno.” Revista Sociedade e Estado 3, no 2: 373-388. https://doi.org/10.1590/s0102-699220183302004

Eco, Umberto. 2020. Migração e intolerância. Rio de Janeiro: Record.

Ferrajoli, Luigi. 1998. “Más allá de la soberania y ciudadanía: um constitucionalismo global.” Isonomia, Revista de Teoria y Filosofia del Derecho 9: 173-184. http://www.cervantesvirtual.com/obra/ms-all-de-la-soberana-y-la-ciudadana-un-constitucionalismo-global-0/

Flores, Joaquín. 2009. A (re)invenção dos direitos humanos. Florianópolis: Fundação Boiteux.

Foucher, Michel. 2013. “Considerações geopolíticas sobre fronteiras contemporâneas.” Revista Geopantanal 15: 23-35. https://periodicos.ufms.br/index.php/revgeo/article/view/289

Gladwell, Malcolm. 2019. Falando com estranhos. Rio de Janeiro: Sextante.

Harari, Yuval. 2017. Sapiens. Uma breve história da humanidade. Porto Alegre: L&PM Editores.

Huxley, Julian. 1957. New bottles for new wine. London: Chatto & Windus.

Pogge. Thomas. 1992. “Cosmopolitanism and Sovereignty.” Ethics 103, no. 1: 48-75. https://doi.org/10.1086/293470

Pogge, Thomas. 2008. “¿Qué és la justicia global?” Revista de Economia Institucional 10, no. 19: 99-114. https://www.redalyc.org/pdf/419/41901905.pdf

Quammen, David. 2020. Contágio. Infecções de origem animal e a evolução das pandemias. São Paulo: Cia das Letras.

Sen, Amartya. 2011. A ideia de justiça. São Paulo: Cia das Letras.

Smith, David. 1953. Less than human. New York: St. Martin’s Griffin.

Sousa Santos, Boaventura. 2020. A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Editora Almedina.

Sousa Santos, Boaventura. 2009. “Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes.” Em: Boaventura de Sousa Santos e Maria Paula Meneses. Epistemologias do Sul. Coimbra: Almedina. http://professor.ufop.br/sites/default/files/tatiana/files/epistemologias_do_sul_boaventura.pdf

Sousa Santos, Boaventura. 1996. “Por uma concepção multicultural de Direitos Humanos.” Lua Nova Revista de Cultura e Política 39, no. 48: 105-201. https://doi.org/10.1590/S0102-64451997000100007

Publicado

2022-04-01

Cómo citar

de Oliveira Magalhães da Silva Loureiro, C. R. (2022). O reset humanitário e o novo tratado internacional da solidariedade global: um caminho para a resiliência global . Bios Papers, 1(2). https://doi.org/10.18270/bp.v1i2.3969